Lista definitiva de propostas admitidas e excluídas

POLÍTICA DE COOKIES

Este site utiliza cookies para o bom funcionamento do site e para otimizar a sua experiência de navegação. Para saber mais sobre a utilização dos cookies ou como os gerir ou desativá-los neste dispositivo por favor consulte a Política de Cookies.

Nº da Proposta Descrição do Projeto   Área de Intervenção Proponente Localização Análise Motivo
1 MURAL DE ARTE URBANA NA RUA MOUZINHO DE ALBUQUERQUE Na rua Mouzinho de Albuquerque na vila de Idanha-a-Nova existe uma enorme parede branca que vai deste a EPRIN até à Escola Primária. Neste "enorme" espaço poderia nascer um mural de arte urbana onde, artistas locais, nacionais e internacionais pudessem intervir. Devido à extensão e dimensão da parede e com os valores previstos no OP, o mural poderia ir crescendo a cada ano. A arte urbana, além da óbvia melhoria do aspeto, aproxima a cultura e é, em si, um atrativo de pessoas para a zona. Espaço Público e Espaço Verde Nuno Capelo Idanha-a-Nova admitida  
2 DAR UM MELHOR SENTIDO DE VIDA AOS NOSSOS IDOSOS A minha proposta, seria que se devia dar mais rentabilidade as habitações do centro de dia de Monfortinho, para que os nossos idosos, principalmente monfortinhenses, tenham um centro de vida assistida, com preços mais reduzidos, comparado com os lares, para que os nossos idosos possam viver os seus últimos dias na sua aldeia com alguma dignidade, sei que será um custo muito avultado, bastava que se sentissem vigiados durante a noite que o conforto era logo outro, e mais algumas visitas por parte de enfermagem, fica apenas o registo, existe vários exemplos de idosos que gostariam que a ideia fosse uma realidade, tendo em conta que já temos as infra-estruturas Ação Social e Habitação João Mendes Monfortinho excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
3 LIGAÇÃO DA FRONTEIRA DAS TERMAS DE MONFORTINHO À A23 Auto-estrada da ligação da fronteira entre as Termas de Monfortinho à A23 Infraestruturas viárias José Poças Rascão Termas de Monfortinho excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
4 COLOCAÇÃO DE UM FONTANÁRIO E DUAS MESAS DE JOGOS NO JARDIM DO LARGO DO MUNICÍPIO Colocação de um fontanário no jardim do largo do Município, o mesmo seria uma mais valia permitindo aos munícipes e a quem nos visita refrescarem-se nos dias mais quentes. A colocação de duas mesas de jogos no mesmo local serviria a população em geral fomentando a prática de jogos lúdicos e pedagógicos. Espaço Público e Espaço Verde Joaquim Rijo Martins Idanha-a-Nova admitida  
5 SALÃO COMUNITÁRIO Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova Venho por este meio propor a construção ou adaptação de um imóvel para a função de salão comunitário para os habitantes da vila de Idanha-a-Nova. Tem-se notado a falta do mesmo para apoio de várias famílias e associações que queiram se reunir em família ou mesmo em grupos para a realização de certas atividades e convívios. Nota-se entretanto que em quase todas as freguesias do concelho, as mesmas já dispõem deste tipo de equipamento, sendo uma mais valia para cada freguesia em termos de imóvel de apoio caso queiram organizar qualquer tipo de atividade ou convívio para os seus residentes e assim dinamizar as relações entre si. Assim me despeço e desejo desde já os meus sinceros cumprimentos a toda a equipa que compõe o executivo camarário. Maria Isabel Tereza dos Santos Mendonça Reabilitação e Requalificação Urbana Maria Isabel Tereza dos Santos Mendonça Idanha-a-Nova excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
6 CONSTRUÇÃO DE RAMPA DE ACESSO À IGREJA DO ESPÍRITO SANTO Construção de uma rampa que facilite o acesso de pessoas com pouca mobilidade ou em cadeira de rodas à Igreja do Espírito Santo Espaço Público e Espaço Verde Carla Maria Afonso Perquilhas da Costa Adro da Igreja do Espírito Santo admitida  
7 PARQUE INFANTIL NO LARGO DA RELVA EM MONSANTO Criação de parque infantil no Largo da Relva em Monsanto para colmatar a falta deste tipo de equipamento em toda a freguesia de Monsanto e Idanha-a-Velha. Esta proposta justifica-se com a falta deste tipo de equipamentos e com a quantidade crescente de crianças que habitam na freguesia e estudam na escola primária de Monsanto, sendo que o Largo da Relva, além de ponto de passagem é também um local ideal para o mesmo pelas suas carateristicas (centralidade, casas de banho públicas, fonte de água, comércio, estacionamento e realização de mercados) Urbanismo Rúben André Ramos Mendonça Lopes da Silva Largo da Relva, Monsanto excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
8 CORETO E ZONA AJARDINADA (JARDIM E ESPÉCIES ARBÓREAS DE SOMBRA) O Coreto como elemento arquitetónico é uma cobertura, situada ao ar livre, para abrigar bandas musicais em concertos ou outros tipos de ações culturais. A sua envolvente requer necessariamente um arranjo urbanístico com zona ajardinada (jardim e espécies arbóreas de sombra) para espaço de lazer e fruição. A nossa proposta indica a Quinta de Santo António como um local adequado para esta infraestrutura e zona ajardinada, uma vez que tem toda uma área útil disponível e nas imediações localiza-se o Centro de Dia e a sede das Associações Culturais da freguesia de São Miguel de Acha. Nos séc. XIX e XX, os concertos gratuitos de música eram uma forma de instruir as sociedades, promovendo locais de encontro regulares, para pessoas de todos os estatutos e idades assistirem a concertos. Os coretos constituem a materialização edificada de um suporte desta manifestação cultural, assumindo-se como elementos fundamentais na promoção das suas relações comunitárias. Em Portugal, como na maioria dos países da Europa, o coreto surge com as revoluções liberais, e sobretudo no chamado período da Regeneração (ou da Monarquia Constitucional), importando o modelo de França que já o tinha adaptado de Inglaterra e dos seus jardins românticos que, por sua vez, tinham seguido influências orientais. Entre eles o palanque em forma mais ou menos circular, com uma cúpula abrigo de chuva ou sol para oradores ou músicos, assumia a forma de um palco de espetáculo gratuito ao serviço dos ideais liberais. Para ter acesso à música já não era necessário pagar para entrar numa sala de espetáculos; os espetáculos estavam na rua, gratuitos e o coreto era o palco. Em Portugal, existem centenas de coretos espalhados por todo o território, alguns já património classificado, e São Miguel de Acha também merece um Espaço Público e Espaço Verde Adalgisa Patrícia Mendes Leitão Dias São Miguel de Acha excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
9 MELHORIA NAS ACESSIBILIDADES E CONDIÇÕES DE SEGURANÇA DO CENTRO DE SAÚDE À imagem do conjunto de políticas que Portugal tem vindo a desenvolver nos últimos anos e que visam uma sociedade mais inclusiva, constituindo disso exemplo o Plano Nacional de Promoção da Acessibilidade e o Regime de Apoio aos Municípios para a Acessibilidade, aspirando que todos os cidadãos exerçam os seus direitos e beneficiem das suas opções de escolha em igualdade de oportunidades e circunstâncias, propõe-se mediante o assunto em epígrafe o seguinte: 1. Na entrada principal de acesso à área das consultas do Centro de Saúde, sugere-se intervenção no exterior, com o rebaixamento de pelo menos um degrau, de forma a diminuir a inclinação da rampa, cuja acessibilidade só é possível com apoio de terceiros, o que contraria o fundamento da sua finalidade, enquanto potencializadora da plena autonomia dos seus utilizadores com condições funcionais para o efeito; 2. Também na entrada anteriormente identificada, é importante proceder à retirada do pequeno degrau ali colocado, e que dificulta a deslocação de utentes em cadeira de rodas ou impede mesmo a sua circulação, nomeadamente, quando o utente não se faz acompanhar por alguém que o auxilie; 3. Ainda na entrada anteriormente referida, a porta principal de acesso ao exterior encontra-se avariada há muito tempo (ver imagem com círculo a vermelho), pelo que se sugere, que ao invés do seu arranjo se proceda à colocação de uma porta automática, tendo em conta, que a actual não permite a sua utilização de forma autónoma a utentes com mobilidade reduzida, bem como, dificulta a entrada noutras situações, nomeadamente, a pessoas com crianças ao colo ou idosas (utilizando ou não ajudas técnicas); 4. Já no interior do edifício, o mau-estado do piso em geral tem dificultado a circulação das cadeiras de rodas e provocado quedas, duas delas (que eu tenha conhecimento) com gravidade. Por este motivo, foi tomada uma medida provisória, através da colocação de fita adesiva para evitar situações idênticas. Atendendo ao descrito, torna-se necessário proceder à colocação de um piso condigno à tipologia dos serviços ali prestados. Infraestruturas viárias Maria Alexandra Pinheiro Correia Centro de Saúde de Idanha-a-Nova, Idanha-a-Nova excluída alínea i) do n.º 2 do artigo 14.º
10 O CORETO "É possível que os Coretos sejam dos espaços públicos mais ignorados pelo português deste século. Passamos por eles como se fossem publicidade. Não ligamos e ficam-nos retidos na memória inadvertidamente, pela frequência com que aparecem, quer em aldeolas que as serras fizeram esquecer, quer em jardins urbanos das capitais de distrito. Não fosse o seu nome, e se calhar nem saberíamos o porquê da sua existência. Desconfiaríamos apenas que deveria ter tido alguma razão de ser, caso contrário não teriam existido. Mesmo assim, eles aguentam-se. E alguns ainda têm o propósito de outros tempos. Não são apenas espaços para as bandas locais darem canções ao povo – são também parte de uma identidade bem local, um pequeno orgulho das freguesias do país. O aparecimento dos Coretos na vida das gentes está intimamente ligada ao surgimento dos jardins enquanto espaço público. O jardim veio para ficar com o planeamento urbano que começou por alturas do século XVIII e XIX. A ideia era criar um espaço de todos, verde e cuja inspiração devia muito ao romantismo. França terá sido dos primeiros países a criar tal ambiência, no seio de cidades e aldeias, onde a democratização dos espaços comunitários foi estimulado na ressaca da Revolução Francesa. Inglaterra seguiu os passos dados pelo seu vizinho a sul. E em poucos anos o Coreto era uma inviabilidade europeia, e um sinal identitário da terra onde figurava. O Coreto, enquanto complemento musical, entrou aí, com maior incidência a partir do século XVIII. Fixavam-se no centro do jardim, habitualmente. Quase que dava a entender que o jardim se foi fazendo à volta dele. E assim surgiu o primeiro rádio do mundo, muito antes desse aparelho ser sequer um pensamento." Espaço Público e Espaço Verde Alberto Umbelino Gonçalves Largo de Santo António em São Miguel de Acha excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
11 PAVIMENTAÇÃO E REQUALIFICAÇÃO Pavimentação e requalificação da área junto ao quartel dos bombeiros de Penha Garcia Espaço Público e Espaço Verde José Rodrigues Claro Rua da tapada Nova excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
12 PASSEIO A EN 233 tem passeio na maior parte do percurso (pelo menos num dos lados) na saída para Penamacor, porém o memso termina antes da placa da Entrada/saída da localidade antes de chegar à Padaria Quintas, na saída da povoação já perto do cruzamento que deriva para a estrada do Fundão. Há um percurso de cerca de 100/150 metros em que não há passeios, nem num lado da estrada nem no outro. Sabe-se que é uma estrada muito movimentada e que a população se desloca em grande número, diariamente, à Padaria Quintas que agora tem café e pastelaria. A circulação na estrada nestas condições, sem passeio em pelo menos um dos lados, constitui perigo eminente de atropelamento para os habitantes, até porque diariamente circulam aqui muitos camiões de grande porte transportando principalmente madeira. Trânsito e Mobilidade Jose Ramos Alexandre EN 233, sentido sul-norte excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
13 REABILITAÇÃO DE MOINHOS E CRIAÇÃO DE ESPELHO DE ÁGUA Corte de arbustos e limpeza da área envolvente do Rio Ponsul com Ribeira de Alcafozes. Espaço Público e Espaço Verde António Vinagre Sra da Graça admitida  
14 FORNO COMUNITÁRIO Forno Comunitário “Portugal é um país de tradições e o pão é uma tradição popular. Durante séculos o pão foi o alimento base das famílias e era feito em fornos de lenha, os chamados “fornos comunitários”. Os fornos comunitários eram utilizados pelos habitantes da localidade com o objectivo de cozer a massa do centeio/trigo/milho que, anteriormente, tinham semeado nas terras de cultivo. Estes fornos, cujo material de construção era a pedra, dispunham no seu interior de uma abóbada de pedra dura e rija, e como eram feitos para ser utilizados por todos os habitantes da aldeia, eram fornos grandes, pois coziam de cada vez 5 a 6 alqueires de milho, de trigo ou centeio. As famílias juntavam-se, punham a lenha a arder, quando viam que o forno estava quente, iam buscar a maceira de massa, limpavam as brasas do forno, cada uma trabalhava a sua massa e colocavam o pão dentro do forno, no qual era antes posto um sinal, para assim ao tirar o pão cozido do forno sabiam pelo sinal a quem pertencia. Servia também para em dias de festa a comunidade se juntar e cada família à vez assava as carnes e os bolos mais leves e punham a conversa em dia enquanto aguardavam. Em muitas aldeias havia a “forneira” que aquecia o forno, tratava da lenha, deitava o pão e cuidava dele durante a cozedura. Nesses casos a “forneira” tinha direito a uma “maquia” que era um pão por fornada. Sempre que se juntavam no forno para cozer o pão, tinham a preocupação de o fazer em grandes quantidades para evitar tirar a vez aos restantes habitantes, já que o hábito era juntarem-se famílias e juntos cozer grandes fornadas. Hoje, embora os fornos comunitários tenham perdido a importância socio/cultural e económica de outos tempos, com a chegada do turismo rural dá-se um volte-face e procuram-se de novo sabores e paladares de “antigamente”!” São Miguel de Acha quer apostar nessa recuperação desses espaços por forma a disponibilizá-los à comunidade. Espaço Público e Espaço Verde Maria Sofia Milheiro Geraldes Gonçalves São Miguel de Acha excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
15 BARRAGEM DO ROSMANINHAL Construção de uma barragem no ribeiro do Rosmaninhal, perto da povoação conforme ficheiro anexo. Turismo José Carlos Louro Torres Rosmaninhal excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
alíneas c) e d) do n.º 3 do artigo 14,º
16 REQUALIFICAÇÃO DO PAINEL DE AZULEJOS - FACHADA FRENTE DO EDIFÍCIO DA ESCOLA PRIMÁRIA DE ZEBREIRA Requalificação do painel de azulejos do edifício da Escola Primária de Zebreira. Tendo esta escola uma fachada única e com uma beleza própria, o painel de azulejos está ligeiramente estragada e precisa urgentemente de uma recuperação dos quadros de azulejos como demostra as fotos em anexo. Um edifício único e que demonstra que em outros tempos os alunos (masculinos e femininos) tinham espaços diferentes para frequentar a escola. Reabilitação e Requalificação Urbana Paulo Sérgio Lameira Pinto Zebreira admitida  
17 SINALÉTICA Colocação de cedências de passagem e de sinaléticas horizontais, conforme indicado no documento em anexo. Trânsito e Mobilidade Pedro Miguel Ramos dos Reis Idanha-a-Nova admitida  
18 POSTOS DE CARREGAMENTO PARA VEICULOS ELÉTRICOS A ideia proposta atendendo à mobilidade de pessoas por automóveis exclusivamente elétricos apresentar uma tendência crescente, propõe se que seja colocado em cada freguesia do concelho, por duas fases distintas postos de carregamentos elétricos, pretendendo-se numa primeira fase a colocação de postos de carregamento, nas freguesias com mais relevância em termos turísticos e nas freguesias que sendo atravessadas por estradas nacionais ou regionais possam ser locais de parking/carregamento o que levaria ao incremento de pessoas nessas freguesias Trânsito e Mobilidade Manuel de Monteiro Concelho de Idanha-a-Nova excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
19 VALE FIGUEIRA. ELIMINAÇÃO DO IMPACTO AMBIENTAL DAS ÁGUAS RESIDUAIS DAS PISCINAS MUNICIPAIS DE ZEBREIRA. Para os zebreirenses, o “Vale Figueira” tem um valor inestimável. Sempre ouvi dizer que os poços ali existentes foram de extrema importância nos anos de 1950 e seguintes, ajudando a mitigar a falta de água com que a povoação se debatia todos os verões. Através de motor, a água era puxada para o chafariz público da aldeia, no qual a água era racionada pelos seus habitantes. Por esse motivo, e também pela sua proximidade à freguesia, é um recanto que merece uma requalificação profunda, pois possui condições de beleza natural e paisagística excelentes, para se tornar um local de orgulho de todos os zebreirenses! Mas antes, há que resolver um grave problema ambiental, razão de ser desta proposta. Mesmo ao lado do tanque que serviu outrora para as mulheres da Zebreira efectuarem a lavagem das roupas da família, corre a céu aberto um esgoto que julgo serem as águas residuais da piscina municipal, existente a 300/400 metros do local. Fica a foto possível do local, de difícil acesso nas actuais condições de mato e vegetação. O impacto ambiental é óbvio, pelo que proponho que seja resolvida rapidamente esta situação, sem a qual não será possível requalificar a área envolvente. Proteção Ambiental e Energia António Faria Justo ZEBREIRA admitida  
20 CASAS DE BANHO PÚBLICAS Construção de casas de banho públicas, para os residentes na freguesia, turistas e outros visitantes. Uma casa de banho feminina e outra masculina, ambas equipadas para utentes com deficiência. O local indicado seria no “Largo das Feiras” na Rua Principal, perto do Centro Médico. Espaço Público e Espaço Verde Maria da Conceição Martins Nogueira Rascão Toulões excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
21 EQUIPAMENTOS FITNESS Colocação de 4 equipamentos para manutenção Fitness e ginástica para bem estar da população. Espaço Público e Espaço Verde João Henrique Campos Rolo Idanha-a-Velha admitida  
22 CASAS DE BANHO PÚBLICAS NO FORNO COMUNITÁRIO Colocação de casas de banho públicas no forno comunitário, para senhoras e senhores, ambas com acessibilidades e equipamento para deficientes, bem como um fraldário. Infraestruturas viárias Victor Rodrigues Pires Idanha-a-Velha excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
23 AÇUDE/REPRESA Construção de açude/represa com finalidade de ter um pequeno espelho de água, para refrescar a área envolvente. Com a possibilidade de no futuro haver a possibilidade de captação de água para pequenos fins agrícolas. Espaço Público e Espaço Verde Armando Gonçalves Bernardo Idanha-a-Velha excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
24 DAE - DESFIBRILHAÇÃO AUTOMÁTICA EXTERNA Aquisição de um Desfibrilhador Automático Externo (DAE) A Morte Súbita Cardíaca surge repentinamente e vitimiza pessoas de qualquer faixa etária. Um indivíduo em PCR (paragem cardiorrespiratória) e sem qualquer tipo de assistência RCP (reanimação cardiopulmonar) perde a cada minuto entre 10 a 12% de capacidade de sobrevivência. Cerca dos 5 minutos podem ocorrer lesões cerebrais irreversíveis. Segurança e Proteção Civil Arnaldo Filipe Cunha Dias São Miguel de Acha admitida  
25 PARQUE INFANTIL Monsanto e suas aldeias periféricas são as aldeias da parte norte do Concelho de Idanha-a-Nova que mais crianças agregam na sua escola primária. Em conjunto, reúnem também um grupo significativo de crianças residentes. Não existe nenhum parque infantil que sirva esta localidade nem esta comunidade. Os parques infantis mais próximos, estão localizados ou em Penha Garcia ou nas Aranhas (já fora do concelho), não se apresentando como alternativa viável para gerar um ponto de encontro e de lazer para as crianças e para os pais que as acompanham. Após conversar com outros pais desta localidade, sugerimos a reflexão sobre a possibilidade de construir um parque infantil, no largo da Relva. Parece-nos que, a construção de um espaço para lazer das crianças e dos jovens desta zona, seria uma grande mais-valia na qualidade de vida destas crianças, restituindo uma dignidade ao largo desta aldeia, que se quer vivo e dinâmico. Serviria igualmente como um incentivo às crianças para irem brincar para a rua, em vez de ficarem fechadas em casa sem um ponto de encontro ou um local seguro onde se juntarem e que os pais saibam onde os encontrar. Este parque infantil, não só serviria a comunidade, como poderia ser igualmente uma mais-valia para o fluxo turístico de Monsanto, uma vez que, durante os tempos de espera dos autocarros que fazem o transfer da Relva para Monsanto nos meses de verão, poderiam ser utilizados pelas crianças e famílias que se encontram em visita. Fica aqui a nossa sugestão deixada à vossa consideração. Atentamente, Tiago Lourenço Espaço Público e Espaço Verde Tiago M. C. P. Castanheira Lourenço Largo da Relva - Monsanto excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
26 REQUALIFICAÇÃO DE ESPAÇOS PÚBLICOS Pintar as casas de banho públicas. Pintar edifício da junta e manutenção dos estores. Colocação de azulejos na fonte do Álamo, até meio da mesma, bem como o resto da pintura. Arranjar o poço novo, que não deita água. Reabilitação e Requalificação Urbana Maria Belarmina Esteves Nunes Alves Alcafozes admitida  
27 MUSEU DO TRAJE O museu do traje tem como objetivo reúnir uma coleção de indumentária histórica e acessórios de traje tipico de Monsanto ( traje domingueiro e o traje dos dias de trabalho). Apresentaria uma vasta coleção de histórias , personagens e objetos pertencentes a pessoas iconicas da aldeia. Cultura Isabel Caldeira Monsanto -Vila Antiga Junta de Freguesia excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
28 FONTANÁRIO / CHAFARIZ "Um fontanário ou chafariz, às vezes chamado somente por fonte, é uma construção, ornamental ou não, provida de uma ou mais bicas, de onde jorrra água. Geralmente, situa-se em local aberto à visitação pública, como praças e jardins. Pode ser erigido com diversos propósitos, dentre eles: manter a humidade do ar, saciar a sede, servir de ornamento ou decoração." Em S. Miguel de Acha existem vários que funcionando ou não, não se pretende que percam a sua caraterística e propósito inicial. E quer se queira ou não estão ligados á história e cultura do nosso povo. Propõe-se a sua reabilitação e aproximação á originalidade. O turismo agradece. Espaço Público e Espaço Verde Maria Fatima Torrado Milheiro São Miguel de Acha admitida  
29 MELHORAMENTOS Pretendo, com esta proposta, que se façam algumas melhorias em Penha Garcia, de forma a facilitar e melhorar a acessibilidade e a estadia de quem nos visita. - mais caixotes do lixo (junto ao Miradouro atrás da Igreja Matriz, no Castelo, ao longo de toda a Rota dos Fósseis e por algumas ruas históricas de Penha Garcia; - dispensadores de sacos para dejectos de animais de estimação; - sinalização de direcção para a Rota dos Fósseis, Castelo (para caminhantes e automóveis), Igreja, Barragem, Praia Fluvial do Pego, Posto de Turismo/ Museu, Pelourinho, Parques de Merendas; - que as bandeiras do Castelo se encontrem colocadas durante todo o ano; - abertura de um espaço/ bar junto da Praia Fluvial do Pego, com venda de águas, sumos, gelados, sandes, bolos secos; - abertura de uma loja, na zona histórica, para venda de artigos de artesanato feito por locais, produtos alimentares originais e recordações de Penha Garcia. Obrigada. Turismo Joana Rosa Peres Vilela Semião Penha Garcia admitida  
30 BENEFICIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES SANITÁRIAS DA IGREJA MATRIZ Realização de obras de beneficiação das instalações sanitárias na Igreja Matriz de S. Miguel de Acha, com acessibilidade a cidadãos de mobilidade reduzida. Saneamento e Higiene Urbana Maria da Conceição do Nascimento Coelho Lopo S. Miguel de Acha excluída alínea d) do n.º3 do artigo 14.º
31 OS LAVADOUROS PUBLICOS “Aqui podemos encontrar uma viagem aos tempos mais antigos, onde se podia lavar a roupa e a alma. Uma barra de sabão, a escova de cerdas, água abundante e muita cantoria. Esta era a receita de muitas mulheres que levavam a bacia, em ombros, até ao tanque. Porque não há nada como “lavar a roupa no rio”. Os lavadouros estão quase todos ao abandono desde que se generalizou a utilização de máquinas de lavar roupa. Passaram a poupar o esforço braçal e também algum tempo, pois a máquina dá as voltas e reviravoltas que tentam imitar as esfregas e as batidas que as mãos esforçadamente labutavam. Os lavadouros públicos surgiram em finais do século XIX. Queiramos ou não, o tempo às vezes parece voltar para trás. Mas nada nem ninguém volta a ser o que era antes.” Em São Miguel de Acha ainda há gente que pelo menos semanalmente lava nos lavadouros públicos. O que propomos, é substituir os tanques de cimento colocados na fonte do Rossio e na Fonte do Largo de Santo António poi lavadouros em pedra como existiam num passado não, muito longínquo. A população e o turismo agradece, Espaço Público e Espaço Verde Cristiano Coelho Lopo S. Miguel de Acha admitida  
32 LOMBAS PARA REDUZIR VELOCIDADE Colocar cinco lombas com passadeira nos seguintes locais: - junto ao semaforo do cemiterio - junto ao outro semaforo - junto à casa do povo - Em frente á centro do dia - Em frente ao palacete velho (entre o centro de dia e o depósito) Trânsito e Mobilidade Maria de Lourdes Pereira dos Santos Sequeira Oledo admitida  
33 CONTENTORES DO LIXO Substituir o maior número possível de contentores do lixo por contentores com pedais. Saneamento e Higiene Urbana Antonio Manuel Milheiro Oledo admitida  
34 COLOCAÇÃO DE LOMBAS NA ESTRADA QUE ATRAVESSA A FREGUESIA Colocação de lombas redutoras de velocidade na estrada que atravessa a freguesia (sito na Av. Rolão Preto / Rua do Adro / Rua Joaquim Dias Rato). Infraestruturas viárias, Trânsito e Mobilidade Maria José Carvalho Moita Martins Av. Dr. Rolão Preto / Rua Joaquim Dias Rato excluída alínea h) do n.º2 do artigo 14.º
35 REQUALIFICAÇÃO DO LARGO DO MONUMENTO AOS COMBATENTES REQUALIFICAÇÃO DO LARGO DO MONUMENTO AOS COMBATENTES O Largo necessita de uma requalificação em virtude de se encontrar no centro da aldeia e representar parte da vida da nossa Freguesia: a Homenagem aos nossos Antigos Combatentes. A intervenção passaria pelo arranque das 3 árvores ali existentes, pois com as suas fortes raízes estão a pôr em causa a estrutura do muro ali existente, e colocar outro tipo de árvores ou uma pérgola em madeira. Seria feita uma intervenção no muro, na calçada e a colocação de sistema de recolha de águas que vêm do largo para a rua que suporta o muro, também o jardim ali existente teria uma intervenção geral assim como no sistema de rega. Espaço Público e Espaço Verde Maria Alice Monteiro Geraldes Marcelo Toulões admitida  
36 ILUMINAÇÃO PUBLICA O caminho do Chalé é sem dúvida o percurso institucionalizado pelas gentes de São MIguel de Acha para as suas caminhadas. E não se julgue que são poucos os que o utilizam. A verdade é que nem sempre temos o tempo que queremos , e por isso. proponho que seja equacionada a obra correspondente á iluminação do caminho do Chalé. Espaço Público e Espaço Verde Alberto Milheiro Esteves Vaz São Miguel de Acha admitida  
37 REDE FIBRA ÓPTICA Implementação de uma rede de fibra óptica na freguesia Educação e Juventude António José Afonso Dias Proença a Velha excluída alíneas a) e c) do n.º 3 do artigo 14.º
38 IDENTIFICAÇÃO DO EDIFÍCIO DE APOIO À POPULAÇÃO DE ZEBREIRA, SITO NA RUA DR. ANTÓNIO MIRANDA BOAVIDA, JUNTO AO CHAFARIZ PÚBLICO. Já não são uma nem duas as pessoas que me perguntam que edifício é aquele. E, de facto, não sei porque é que até hoje nunca “mereceu” uma identificação através da colocação de umas letras cravadas na sua frontaria. Assim sendo, esta proposta vai no sentido dessa identificação, através da designação de “Centro Cultural de Zebreira” ou de “Salão Cultural de Zebreira” ou de qualquer outra, porque, na realidade, já lhe ouvi chamar de tudo! Espaço Público e Espaço Verde Maria Helena Malcata Feiteiro Justo ZEBREIRA admitida  
39 ILUMINAÇÃO E REQUALIFICAR ESPAÇO VERDE DE ZEBREIRA Requalificação da rotunda de Zebreira com a colocação de placa com o nome da aldeia " ZEBREIRA" em ferro forjado, de grandes dimensões e colocação de luzes no solo para iluminar o espaço todo da rotunda. Esta iluminação a ser colocada terá que ser alimentada através de painéis solares. Proteção Ambiental e Energia Maria Ofélia Pedro Roseiro ZEBREIRA excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
40 CONSTRUÇÃO DE RAMPA DE ACESSO AO POSTO MÉDICO / JUNTA DE FREGUESIA Construção de rampa de acesso ao posto médico e junta de freguesia (mesmo edifício) para facilitar o acesso a pessoas com mobilidade reduzida. Urbanismo, reabilitação e requalificação urbana Lucinda de Jesus Reis Folgado Ribeiro Av. Dr. Francisco Rolão Preto n.º40 - Aldeia de Santa Margarida admitida  
41 CONSTRUÇÃO DE RAMPA DE ACESSO À IGREJA MATRIZ Construção de rampa de acesso à igreja matriz de Aldeia de Santa Margarida, facilitando o acesso a pessoas de mobilidade reduzida. Urbanismo, reabilitação e requalificação urbana Valter José Carvalho Martins Largo da Igreja - Aldeia de Santa Margarida admitida  
42 PAVIMENTAÇÃO JUNTO AO LARGO DE FESTAS Pavimentar a zona junto ao largo das festas - o acesso às casas de banho. Urbanismo, reabilitação e requalificação urbana Anália Neusa Gomes Soares Mendes Torre de Monfortinho excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
43 REQUALIFICAÇÃO DO CEMITÉRIO Colocar fechadura na porta do cemitério. Urbanismo, reabilitação e requalificação urbana Maria Vinagre Roseiro Torre de Monfortinho excluída  
44 PARQUE INFANTIL E ZONA DESPORTIVA Bancos distribuídos pelas Termas de Monfortinho.
Parque infantil (nova renovação)
Arranjo da zona de máquinas de ginástica
Espaço Público e Espaço Verde José Manuel Rodrigues Catana Termas de Monfortinho admitida  
45 COLOCAÇÃO DE MÁQUINAS DE DESPORTO Para facilitar a mobilidade e estimular o exercício físico dos habitantes da Torre de Monfortinho. Espaço Público e Espaço Verde José Joaquim de Jesus Marques Torre de Monfortinho admitida  
46 DISTRIBUIÇÃO DE FIBRA ÓTICA Efetuar distribuição fibra ótica aos utentes de internet. De salientar que a fibra ótica já se encontra em Termas de Monfortinho e disponível a alguns locais. Pretende-se distribuição geral. Espaço Público e Espaço Verde José Joaquim Martins Matos Termas de Monfortinho excluída alíneas a) e c) do n.º 3 do artigo 14.º
47 ILUMINAÇÃO PÚBLICA Postos de luz em caminho público desde a estrada principal entre Proença-a-Velha e S. Miguel d'Acha (do lado esquerdo) até à tapada das Fontes Contos Proteção ambiental e Energia Domingos Estevas Proença-a-Velha excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
48 LOMBAS VELOCIDADE Colocação de lombas (em alcatrão e com passadeira) para reduzir velocidade nas 4 entradas da localidade: - Entrada de Monsanto - Entrada de Idanha-a-Velha - Entrada de Proença-a-Velha - Entrada de Aldeia de João Pires Trânsito e Mobilidade Maria da Conceição Lamego Xavier Reis Medelim admitida  
49 TRANSPORTE Transporte de Medelim (ou então Termas de Monfortinho, fazendo a linha toda de transporte) para Idanha-a-Nova e vice-versa, que pudesse chegar a Idanha antes das 08h00 e que voltasse depois das 18h00, uma vez que coincide com os transportes que ligam a Castelo Branco. Ação Social e Habitação Adusinda Rebelo Salvado Medelim excluída alínea c) do n.º3 do arttigo 14.º
50 POLIDESPORTIVO Requalificação do polidesportivo já existente na aldeia, pois encontra-se muito degradado. Reabilitação e Requalificação Urbana Sofia Bernardo Lourenço Remédios Medelim admitida  
51 LIGAÇÃO PEDONAL(ESCADA OU RAMPA COM POUCA INCLINAÇÃO) DO BAIRRO DA VALVERDE PARA LIGAÇÃO AO CENTRO DE SAÚDE, ESCOLA E SUPERMERCADO O bairro do Valverde têm alguma população residente e esta ligação ao centro de saúde, é aquilo que se pode designar por um "caminho de cabras", utilizado há dezenas de anos para ir ao centro de saúde,escolas e supermercado que distam por este caminho pouco mais de 100,200 e 300 metros respectivamente. O caminho é muito frequentado pelos residentes e também pela população juvenil que ainda tem o hábito salutar de se deslocar para a escola pelos seus meios, ou seja "a pé" Trânsito e Mobilidade João Manuel Rijo Dionisio Idanha-a-Nova admitida  
52 REQUALIFICAÇÃO ZONA DE LAZER - FONTE DA ENRIQUETA ( FONTE DA ARQUETA) Requalificação da fonte da Arqueta - Limpeza do espaço com colocação de gravilha/tuvenan / colocação de calçada na zona envolvente à fonte , limpeza no interior do túnel de acesso à fonte. Colocação de luz através de candeeiros solares na zona envolvente; Colocação de mesas e bancos; Colocação de papeleira para recolha de lixo; Colocação de iluminação da via publica de acesso à fonte; Espaço Público e Espaço Verde Carla Maria Fernandes Sapo Chambino Zebreira excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
53 REQUALIFICAÇÃO Em primeiro lugar os meus respeitosos cumprimentos a minha proposta para este orçamento participativo que considero excelente a minha opinião é que seria muito útil a colocação de um gradeamento na parte frontal da igreja matriz bem como uma base de segurança desde a Sesaltina até ao Manhoso orçamento aproximado. Espaço Público e Espaço Verde João Carlos de Amorim Rodrigues Penha Garcia admitida  
54 REQUALIFICAÇÃO Penha Garcia é Linda digna de visitar porque tem uma paisagem magnífica uma riqueza enorme. Tendo aparecido esta oportunidade a minha proposta seria a requalificação da entrada principal desde a estrada nacional até á rotunda dos fósseis com passeios e árvores. Espaço Público e Espaço Verde Inês Sequeira Quintela dos reis Penha Garcia excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
55 MULTIBANCO Instalação de um equipamento de multibanco que sirva a população da aldeia de Medelim e não só, de acesso público, incluindo pessoas de mobilidade reduzida. Ação Social e Habitação Maria do Rosário Ribeiro Coelho Medelim admitida  
56 REQUALIFICAÇÃO DO LARGO DA FONTE DE BAIXO Requalificação do Largo da FONTE DE BAIXO – Pretende-se com esta obra de requalificação, voltar a colocar a antiga Roda de ferro que tirava a água da fonte e o embelezamento do espaço envolvente com a colocação de mobiliário urbano, sombras e iluminação para que este Largo se tornasse espaço de lazer e ponto de encontro das gentes de Toulões: - Colocação de roda de ferro, de quatro raios, suspensa num eixo, também em ferro, que gira com a ajuda de uma manivela - Plantação de árvores - Colocação de mobiliário urbano (mesas e bancos) - Iluminação -Beneficiação e limpeza da zona envolvente Espaço Público e Espaço Verde Patrocínia Martins Fernandes TOULÕES admitida  
57 SEMÁFOROS CONTROLO DE VELOCIDADE Colocação de semáforos na Estrada nacional entre a Zona do Restaurante Horizonte e o Cruzamento do Cidral / Caixa Agrícola, tal como existe em Penha Garcia, nos Escalos ou em São Miguel de Acha. O excesso de velocidade com que todos os veículos circulam nesta via é uma constante, com especial destaque para os veículos pesados, acarretando perigo iminente não só para os veículos que saem do estacionamento da Caixa Agrícola, como para as pessoas que circulam pedonalmente por ali perto. Segurança e Proteção Civil Bruno Miguel Ferreira Rodrigues Estrada Nacional 239, cruzamento Cidral/Eugenia excluída alínea c) do n.º 3 do artigo 14.º
58 FLORESTA DE ALIMENTOS Uma FLORESTA DE ALIMENTOS é a presente proposta para a regeneração/requalificação de um espaço público em Oledo, conhecido como Nave Grande, a ceder pela Junta de Freguesia para a implementação da mesma. Resumidamente, uma floresta de alimentos, ou agrofloresta, é um sistema de produção que utiliza a sabedoria inerente e milenar das florestas naturais, através da mimetização das relações benéficas que existem entre plantas e outros organismos vivos, para (re)criar e alimentar ecossistemas que irão proporcionar alimentos para uso humano. Estes sistemas assentam sobretudo nas práticas de "policultura" contrariando as convencionais monoculturas intensivas e químicas. Policultura resulta e baseia-se na dinâmica da auto-organização de comunidades de plantas compostas por várias espécies. Nesta abordagem as plantas são cultivadas em grupos que se apoiam uns aos outros através de funções diferentes, relacionando-se em equilíbrio e harmonia e criando habitat e alimentos para os seres humanos e muitos outros seres vivos. Embora nem todas as plantas sejam directamente comestíveis por seres humanos, todas têm o seu valor e papel e, principalmente, funcionam em conjunto para enriquecer e regular os ciclos da natureza de forma a criar uma saudável e autóctone (o mais possível) paisagem florestal. Os benefícios de uma floresta de alimentos são inúmeros. Além de, existindo um correcto planeamento, produzir alimentos, mantém-se fértil e regenerativa praticamente sem grande intervenção. É também geradora de habitats para a fauna selvagem local, importante no controlo de pragas e na polinização e oferece oportunidades de observação e aprendizagem. As florestas de alimentos não requerem fertilizantes químicos ou pesticidas, pelo que produzem alimentos muito mais ricos e sãos. Um outro benefício importante, principalmente nos tempos que correm e numa região tão seca como a nossa, é o aproveitamento/gestão sustentável dos recursos hídricos, bem como os produtos resultantes da sua manutenção e crescimento, como fibras, combustíveis, adubos verdes, materiais para artesanato, alimento para animais domésticos, entre outros. Sendo a Terra o reflexo da nossa visão de mundo, esta abordagem holística para alimentar as comunidades (humanas e não humanas) também fornece alimento para a terra e, simultaneamente, proporciona uma relação mais directa e profunda na compreensão da interdependência que é necessária para suportar e regenerar a Vida. Existem diferentes tipos de relações e dinâmicas numa floresta de alimentos. Contudo, há certos padrões que são comuns, sendo um deles o funcionamento em diferentes níveis ou estratos: . árvores de grande porte, . árvores de pequeno porte e grandes arbustos, . pequenos arbustos, . espécies herbáceas, . solo fértil com rica matéria orgânica em decomposição . plantas trepadeiras que crescem verticalmente. Com a presente proposta pretende-se não simplesmente a implementação de uma floresta de alimentos, mas também enfatizar uma forma de vivermos mais conscientes das nossas ações e respectivas consequências. Pretende-se resgatar valores e saberes, visões de vida diversas, que trazem de volta a cooperação, a partilha justa e o cuidado e se unem num propósito comum. Pretende-se explorar novas possibilidades de viver paralelamente a um mundo de excessos, de velocidade, de consumo compulsivo, de acumulação (não apenas de bens), de competição extrema, de automatismo, imediatismo, etc.. e formas de pensar sobre como coexistir no mundo, pautadas pela confiança, pela troca, pelo afecto, pela amorosidade e consciência ecológica. Por se tratar de um processo, em constante crescimento, evolução, transformação, uma floresta de alimentos não estará completa num ano, nem em qualquer período de tempo (de)limitado, pelo que deverá ir sendo implementada por fases, correspondendo a actual proposta às fases possíveis em 12 meses, com a verba disponível. Além do que já foi referido, a proposta poderá também aportar funções de lazer, lúdicas e pedagógicas, nomeadamente através da integração e/ou adaptação de algumas estruturas e elementos existentes, como o campo de jogos, o edificado, a charca, bem como a construção e instalação de novos - zonas de estar, de sombreamento - e da dinamização de iniciativas - passeios, formações -, de modo a valorizar este espaço para a utilização pública, tanto da população local, do concelho de Idanha-a-Nova e concelhos adjacentes, mas também a nível nacional e internacional. Cada vez mais se assiste à procura do contacto/relação com a Natureza, pelo que uma proposta como a que se apresenta irá não só valorizar muito a região, como também dar apoio e viabilidade a outras possíveis economias locais, complementares. Espaço Público e Espaço Verde Maria João Alves Portela Baptista de Gouveia Oledo, Nave Grande excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
alínea d) do n.º3 do artigo 14.º
59 FAIXAS PEDRESTE São Miguel de Acha é uma das Freguesias do Concelho de Idanha a Nova que tem uma média etária elevada. Consequentemente, é patente a dificuldadae em se deslocarem em ruas de empedrado irregular. Por outro lado, quando existe a necessidade em se deslocarem amparados por andarinhos, canadianas ou em cadeiras de rodas, aumenta a dificuldade e a desmotivação para a locomoção surge. Nesse sentido proponho a colocação de faixa pedestre desde a porta principal do Centro Social Paroquial de São Miguel de Acha até á estrada principal, com uma bifurcação desde o Largo de Santo Antonio e o chamado ribeiro. A população em geral e os utentes em particular agradecem o esforço solidário em prol da população. Trânsito e Mobilidade Mário Alberto Chaves Magro São Miguel de Acha excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
60 MARCAÇÃO ESTRADA NACIONAL 353 Marcação da Estrada Nacional 353 entre Sra da GRAÇA e IDANHA -A-NOVA tendo em atenção que é uma estrada com um grau de inclinação considerável e á noite é muito escura , também é uma zona de muito nevoeiro o que dificulta a condução a quem conhece e muito pior para quem não conhece sendo esta uma estrada muito movimentada incluindo Transportes Públicos. Um bem para a comunidade e para quem nos visita. Trânsito e Mobilidade Michael Monteiro Pacheco Pacheco Sra da GRAÇA / IDANHA - A - NOVA admitida  
61 COLOCAÇÃO DE LUMINÁRIAS Colocação de luminárias, na Estrada Nacional 233, entre o km 83 e o km 84. Ou seja, colmatar a inexistência de luminárias entre os candeeiros já existentes no Vale da Figueira. Espaço Público e Espaço Verde José Milheiro Branco São Miguel de Acha admitida  
62 AÇÕES DE SENSIBILIZAÇÃO DE HIGIENE URBANA E AMBIENTAL As ações de sensibilização junto da população são ferramentas essenciais para alertar a comunidade para algo que está menos bem e poderá ser melhorado, visando a mudança comportamental assim como a mudança de atitudes de todos nós. A presente proposta, visa a realização de ações de sensibilização junto da população da União de Freguesias de Zebreira e Segura, a fim de estimular a comunidade para a mudança de atitudes/condutas, chamando a atenção para a responsabilidade civil da cada um e o espírito de participação de todos na importância da limpeza urbana. Para tal é proposto a realização das seguintes tarefas: - Elaboração e distribuição de folhetos de sensibilização, promovendo hábitos de consumos sustentáveis, fomentando a consciencialização da população e operadores económicos para a adoção de comportamentos mais adequados; - Realização de ações de sensibilização com contatos próximos dos responsáveis autárquicos com a população e entrega de recipientes, quer para a reciclagem, quer para o lixo comum; - Reforço da gestão municipal, ao nível da lavagem periódica dos contentores (lavagens trimestrais), reparação dos contentores existentes e melhoramento das zonas limítrofes onde existam contentores, originando assim um aspeto cuidado e limpo; - Reforço de ecopontos, maximizando a recolha seletiva e reciclagem; - Colocação de um contentor adequado à receção de entulhos (até três m3), em local estratégico na Freguesia. Saneamento e Higiene Urbana Jorge Daniel Pinto Fonseca União de Freguesias de Zebreira e Segura admitida  
63 REQUALIFICAÇÃO DO CHAFARIZ DO ADRO REQUALIFICAÇÃO HARMONIOSA DOS DOIS FONTANÁRIOS EM GRANITO, COM IDÊNTICA INTERVENÇÃO (COLOCAÇÃO DE GRANITO) NO TANQUE/RESERVATÓRIO DE ÁGUA E CONSTRUÇÃO EXTERIOR ADJACENTE AO TANQUE E FONTANÁRIOS DE ESPELHO DE ÁGUA COM UMA ÁREA ADEQUADA AO LOCAL ONDE O CHAFARIZ ESTÁ IMPLANTADO (PERÍMETRO DE SEGURANÇA IGREJA DA MISERICÓRDIA - IMÓVEL DE INTERESSE PÚBLICO). Espaço Público e Espaço Verde FRANCISCO JOSÉ RIBEIRO SILVA LARGO DO ADRO, JUNTO À IGREJA DA MISERICÓRDIA - PROEÇA-A-VELHA admitida  
64 MELHORAR REDE DE TRANSPORTES PÚBLICOS E PARTILHA DE BOLEIAS É crucial melhorar a rede de transportes públicos no concelho e respetivo distrito. Falo por mim enquanto jovem residente no concelho, há mais de 1 ano, e por opção própria sem carro, é me praticamente impossível realizar as minhas deslocações para Castelo Branco sem ter que recorrer a boleias de pessoas conhecidas. Os horários de autocarros que existem de Idanha para Castelo Branco e vice-versa, são muito limitadores é só funcionam em dias úteis. Ao fim de semana quando me quero deslocar para fora do concelho vejo-me muito limitada. No caso de boleias, também sugiro a criação de uma plataforma de partilha de boleias na região, que poderia ser muito útil! Confesso que este facto irá contribuir é muito, para minha continuação de residência no concelho. Conheço várias pessoas que se deslocaram recentemente para o concelho, e que se queixam exatamente do mesmo problema. Por favor tenham em consideração esta proposta. Trânsito e Mobilidade Carolina Sofia Borges Figueiredo Distrito de Castelo Branco excluída alínea c) do n.º3 do arttigo 14.º
65 BLOCO DE CIMENTO Mais ou menos uma área de 4 m2 Reabilitação e Requalificação Urbana Domingos Nogueira Correia Largo da escola - Soalheiras admitida  
66 SINALÉTICA - PROENÇA-A-VELHA COLOCAÇÃO DE SINALÉTICA NA MALHA URBANA DA FREGUESIA DE PROENÇA-A-VELHA PARA MELHOR ORDENAMENTO DO TRÂNSITO POR FORMA A SALVAGUARDAR A PROTEÇÃO DE PESSOAS E BENS , BEM COMO, DE PLACAS COM A IDENTIFICAÇÃO DOS LOCAIS E MONUMENTOS DE INTERESSE NA FREGUESIA. Trânsito e Mobilidade MARIA HELENA GERALDES ESTEVES E SILVA FREGUESIA DE PROENÇ-A-VELHA admitida  
67 COLOCAÇÃO LOMBAS VIAS ACESSO À ALDEIA 1. Constata-se a existência de velocidades elevadas, ultrapassando os limites permitidos dentro das localidades.
2. A aldeia é servida por vias rápidas de acesso ao núcleo da mesma.
3. Propõe-se a colocação de lombas nas vias de acesso obrigando assim os condutores a reduzir a velocidade dos seus veículos.
Infraestruturas viárias, Trânsito e Mobilidade José Lopes de Figueiredo Pinto Em todos os acessos ao centro da aldeia - Medelim admitida  
68 REQUALIFICAÇÃO DO JARDIM MARIA VIEGAS REQUALIFICAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO JARDIM MARIA VIEGAS SITUADO NO LARGO DA PRAÇA/RUA DA IGREJA COM A EXECUÇÃO DE UM MURAL DE ARTE CONTEMPORANEA NUMA FACHADA ALI EXISTENTE BEM COMO DA ZONA VERDE ADJACENTE. Espaço Público e Espaço Verde MARIA PALMIRA CARVALHO RAMOS JARDIM MARIA VIEGAS EM PROENÇA-A-VELHA admitida  
69 EMBELEZAMENTO ZONA PARQUE INFANTIL Requalificação e embelezamento da zona envolvente do parque infantil e espaço lateral. Colocação de relva, flores e sistema de rega. Bancos e mesas. Infraestruturas viárias, Trânsito e Mobilidade Maria Robalo de Almeida Medelim admitida  
70 TRANSPORTE PARA CASTELO BRANCO Temos falta de transportes, pois quando queremos nos desmobilizar para Castelo Branco, os horários não funcionam para quem reside nas aldeias. Infraestruturas viárias, Trânsito e Mobilidade Maria Isabel dos Reis Maurício Medelim excluída alínea c) do n.º3 do arttigo 14.º
71 NATAL EM CROCHÉ No ano passado (2021), foi realizado pela comunidade de Medelim uma árvore de Natal em croché, composta por 788 quadrados com 3,80m. Visto que, houve muito interesse e aderência por parte da sociedade de todo o país, bem como a comunicação social que nos visitou várias vezes, gostaríamos de realizar outra árvore de Natal em croché um pouco maior e desta vez com um presépio. Cultura Maria de Lurdes Pereira Mendes Canilho Medelim admitida  
72 COLOCAÇÃO DE PLACAS NOVAS NAS ESTRADAS DA ALDEIA Sendo Medelim uma aldeia com tradição de balções, poderia ser colocada uma nova sinalética em todas as entradas da aldeia com referência aos balcões. Infraestruturas viárias, Trânsito e Mobilidade Ana Paula Marques Rebelo Caldeira Medelim admitida  
73 PINTURA TORRE DO RELÓGIO Torre do relógio ícone da terra de Medelim encontra-se muito degradada. Urbanismo, Reabilitação e Requalificação Urbana Raquel Lopes Raposo Figueiredo Medelim excluída alínea d) do n.º3 do artigo 14.º
74 JARDIM TEMÁTICO NA ALDEIA Na aldeia existe um espaço baldio, zona do sampaio, onde se podia criar um jardim, para ser um ponto de encontro, convívio e para realização de eventos. A ideia era aproveitar as antigas "furdas", recuperar as paredes e telhados e aproveitar para fazer umas casinhas pequenas para as crianças, colocar um anfiteatro para concertos e ajardinar o restante. Esta obra seria um espaço para proporcionar interesse à população e seus visitantes. Espaço Público e Espaço Verde Joana Catarina Canilho da Fonseca Medelim excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
75 PINTURA DE UM MURAL Pintura de um mural no edifício da junta de freguesia. Espaço Público e Espaço Verde António Gabriel Correia da Fonseca Rua da Ladeira n.º 12 - Medelim admitida  
76 ATIVIDADES DE DESPORTO É fundamental mudar as representações sociais associadas ao envelhecimento, e esta situação só pode ser modificada através da criação de medidas/ações políticas que desenvolvam projetos de intervenção promotores do envelhecimento ativo. Com esta realidade social em que nos deparamos, principalmente nas aldeias do interior, urge a necessidade emergente de se criar outro tipo de respostas sociais. Um envelhecimento com qualidade de vida exige uma preparação o mais precoce possível, com oportunidades de melhoria e bem-estar ao longo de todo o ciclo de vida. As medidas/ações políticas são um mecanismo para garantir oportunidades para que todos os cidadãos de todas as idades, participem em atividades da sociedade através de vidas ativas, não só na cidade, mas também nos espaços rurais. Sendo assim, a proposta que considero pertinente é o desenvolvimento de atividades de desporto na freguesia do Ladoeiro, pelo menos uma a duas vezes por semana. Desporto Ana Margarida Carrondo Lavado Ladoeiro excluída alínea j) do n.º 2; alíneas a) e b) do n.º 3 do artigo 14.º
77 MOBILIÁRIO PARA SALÃO NOBRE JUNTA DE FREGUESIA E CENTRO CULTURAL Habilitar, o salão nobre da junta de freguesia e centro cultural, de mobiliário adequado para a realização de reuniões, palestras e outros eventos. Nomeadamente cadeiras com palmatoria, secretarias, armários, e outros equipamentos. Espaço Público e Espaço Verde João Carlos Caramelo de Almeida Ladoeiro- salão nobre junta de freguesia e centro cultural admitida  
78 CONSTRUÇÃO DE PALIÇADAS NOS CONTENTORES DO LIXO Construção de Paliçadas em Madeira para ocultação visual dos contentores do lixo Além da construção, as mesmas podiam ter floreiras para decoração/ embelezamento Desta forma seriam ocultos os caixotes do lixo, que por si ó são bastante inestéticos, tornando assim mais harmoniosos os espaços públicos. Espaço Público e Espaço Verde Jorge Manuel Folgado Santos Ladoeiro admitida  
79 CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS PEDONAIS E CICLOVIAS Ser amigo do ambiente é uma atitude fundamental! Se além de proteger o ambiente também cuidarmos da nossa saúde, melhor ainda! Com esta proposta pretendo que as pessoas se desloquem mais vezes a pé e de bicicleta, em segurança. Venho assim propor que se construam espaços pedonais e ciclovias pela localidade. Trânsito e Mobilidade Sofia da Conceição Rodrigues Cordeiro Moreira Ladoeiro excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
80 SINALÉTICA DA FREGUESIA DO LADOEIRO Substituir e criar sinalética adequada devidamente regulamentada com indicação de pontos de interesse, edifícios e arruamento da freguesia . Trânsito e Mobilidade Maria João Caramelo de Almeida Ladoeiro admitida  
81 AQUISIÇÃO DE AR CONDICIONADO PARA O JARDIM DE INFÂNCIA E EB1 DE ZEBREIRA Devido às condições climatéricas no período do Verão seria pertinente a aquisição de Ar Condicionado para as salas do complexo escolar da Zebreira, visto apenas este edifico contemplar aquecimento de pellets. Educação e Juventude Norberto Adelino Lopes Nunes União de Freguesias de Zebreira e Segura admitida  
82 PARQUE DE MERENDAS Espaço de lazer, constituído por mesas e bancos para merenda, com a envolvente arborizada, com freios ou plátanos. Espaço Público e Espaço Verde José Pereira Milheiro Junto à charca da Nave Grande, Oledo excluída alínea d) do n.º3 do artigo 14.º
83 PARQUE DE MERENDAS, MAQUINAS DE GINÁSTICA E BEBEDOURO Aproveitamento de berma e terreno que pertence à freguesia resultante de corte de curva acentuada; Trabalhos: Colocação de parque de merendas no terreno pertença à freguesia; Colocação de bebedouro para os peões que frequentam a variante; Colocação de bancos na berma e jardim apelativo, Colocação de 3 máquinas de ginástica; Colocação de um monumento que caracterize a freguesia já que é uma das entradas, estatueta de uma melancia em granito por exemplo; Espaço Público e Espaço Verde João Rui Folgado Santos Ladoeiro excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
84 CRIAÇÃO DE UMA BIBLIOTECA E SUBSTITUIÇÃO DE COMPUTADORES Criação de uma biblioteca e substituição de computadores, utilizando uma infraestrutura já existente na freguesia. Esta biblioteca tem como intuito tornar acessível aos seus utilizadores o conhecimento e a informação, bem como aumentar o gosto pela leitura. Em tempos circulava pelas freguesias uma carrinha (biblioteca itinerante) onde tanto os mais novos como os mais velhos iam para requisitar livros. Tendo em conta também o aumento do numero de estrangeiros na nossa região seria uma mais valia ter livros de outras línguas potenciando assim o conhecimento de diferentes culturas. (Alguns dos livros poderiam ser doado por habitantes da freguesia de forma a promover uma maior sustentabilidade e dar outra vida aos mesmos) Reabilitação e Requalificação Urbana Claudia Sofia Pires Cordeiro Aldeia de Santa Margarida excluída alíneas a) e b) do n.º 3 do artigo 14.º
85 REQUALIFICAÇÃO ESPAÇO CIDADÃO Requalificação e modernização do espaço dos correios, com objetivo de criar duas áreas distintas de atendimento ao público. Uma relativa ao funcionamento dos correios e a outra referente ao atendimento Junta de Freguesia, por forma a otimizar e melhorar a qualidade dos serviços, bem como facilitar o acesso aos mesmos. Reabilitação e Requalificação Urbana Ana Cristina dos Santos Geraldes Milheiro São Miguel de Acha admitida  
86 SISTEMA DE CINEMA AO AR LIVRE Com o objetivo de proporcionar momentos de lazer e cultura à comunidade do Rosmaninhal, proponho a aquisição de um Sistema de Cinema ao Ar Livre onde a população pode assistir a conteúdos de Desporto, Cinema, Cultura, etc. O Sistema será composto por: Projetor, Tela e Sistema de som. Cultura Isménia Filipa Ramos Couto de Araújo Rosmaninhal excluída alíneas a), b) e c) do n.º 3 do artigo 14.º
87 REQUALIFICAÇÃO PAISAGÍSTICA DA ENVOLVENTE DO ANTIGO EDIFÍCIO DA ESCOLA PRIMÁRIA DE OLEDO Criação de um pequeno corredor para a prática de jogos tradicionais, na área do atual estacionamento, sem comprometer a possibilidade de as viaturas poderem continuar a estacionar no local. Arborizar esta área junto ao muro, com árvores adequadas para o efeito e autóctones. Plantar mais árvores à volta do edifício. Fica ainda a sugestão de as pessoas poderem adoptar as árvores plantadas, de modo a envolver a comunidade a cuidar das mesmas. Espaço Público e Espaço Verde Maria do Rosário Bispo Diogo Anriga Escola Primária da Oledo admitida  
88 PISTA DE SKATE Construir uma pista de skate para a prática desportiva e o desenvolvimento de destrezas motoras das crianças, jovens e adultos do Rosmaninhal. Para além da atividade física e de lazer, também poderão ser desenvolvidos torneios com a participação de outras crianças/jovens/adultos de outras Freguesias. Desporto Vânia da Conceição Mendes Rosmaninhal excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
89 CONSTRUÇÃO TABELAS DE BASQUETEBOL Complementar o campo de futebol já existente com tabelas de "Basquetebol" com o objetivo de possibilitar as crianças, jovens e adultos à prática desportiva de mais uma modalidade. Desporto Maria de Fátima Folgado Flores Rosmaninhal admitida  
90 CONSTRUÇÃO DE UM TELHEIRO PARA A ENTRADA DA ESCOLA Com o objetivo de proteger as nossas crianças à entrada e saída da escola quando chove ( sair e entrar do carro particular ou do transporte escolar), proponho a construção de um telheiro. Para além da proteção já referida, o telheiro também protege os Encarregados de Educação que levam carrinhos de bebés ou "ovos de transporte de bebés" e as crianças enquanto aguardam abertura da porta. Educação e Juventude Filipa Andreia Batista da Costa Rosmaninhal admitida  
91 FORTALECER O VOLUNTARIADO - BOMBEIRO JOVEM - ZEBREIRA A proposta é incentivar os jovens ao voluntariado, ou seja inseri-los nos Corpos de Bombeiros Voluntários nas chamadas Escolinhas de Bombeiros. Esta proposta é referente ás idades de jovens entre os 5 anos e 16 anos, com o intuito de criar incentivos, tais como apoio na aquisição de material escolar para todos os jovens com estas idades que estejam inseridos no Corpo de Bombeiros da freguesia de Zebreira. Por outro lado, esta proposta será para apoio á Associação de Bombeiros Voluntários para melhorar as condições na inserção destes jovens nos bombeiros voluntários, como por exemplo, aquisição de fardamento específico, actividade de cidadania, ajuda ao próximo e colocá-los no ambiente do voluntariado. Criação de actividade, ações frequentes em conjunto com a escola da Freguesia. O objectivo fundamental desta proposta é criar condições nos Corpos de Bombeiros para angariar jovens para a carreira de Bombeiro havendo crescimento do voluntariado, como presentemente existe diminuição . Educação e Juventude Mariana Íris Camisão Nunes União de Freguesias Zebreira e Segura admitida  
92 MELHOR ACOLHIMENTO NO POSTO MÉDICO DE ZEBREIRA Melhorar a sala de espera do posto médico da Zebreira, equipando a mesma com cadeiras mais confortáveis e televisão para entretenimento. Substituição de portas e janelas, devido ás existentes não se encontrarem nas melhores condições. Substituição de mobiliário no gabinete médico e no gabinete de enfermagem. Colocação de um sistema de senhas. Urbanismo Fernanda Caldeira Camisão União de Freguesias Zebreira e Segura admitida  
93 ERRADICAÇÃO POR MEIOS NATURAIS DE AILANTHUS ALTISSIMA ÁRVORE INFESTANTE QUE DESTROI OS POÇOS, MUROS E PAVIMENTOS Erradicação por meios naturais de Ailanthus altissima árvore infestante de rapido crescimento, grande resiliência e fortereprodução, mal cheirosa, que invade com bastante rapidez o Concelho e cujas raizes destroem as paredes das propriedades, os pavimentos , rompem os poços, ocasionando danos como a secagem dos mesmos. Por isso é nescessário fazer um leventamento da localização desta espécie (tambèm pedido pelos serviços dos infestantes , para depois neutralisar-los (cortar los, injectar herbicida natural e sal grosso, assim como os rebentes de grande capacidade de invasão. Ver Tesa de Liliana Neto Duarte (Universidade Espirito Santo de Evora Espaço Público e Espaço Verde Francine Anne-Marie Fleury Rodet Falha do Ponsul, propriedades de idanha a nova - zona antiga e tudo o Concelho excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
94 JARDIM D'IGREJA Gostava que o jardim da igreja tivesse sistema de rega automático e fosse fechado para não entrar os cães a fazer a suas necessidades. Espaço Público e Espaço Verde Francisco Xavier Martins dos Santos Proença-a-Velha admitida  
95 PISCINA , CHÃO DE NORA Gostava fizerem uma piscina pública no espaço do chão de nora em Proença-a-velha. Espaço Público e Espaço Verde Nuria Mullet Gimeno Proença-a-Velha excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
96 VALA POÇO DO REI Infiltração das águas pluviais, devido a entupimento da Vala do Poço do Rei, na residência da Rua de Santo António, 38. Saneamento e Higiene Urbana Josefa Aleixo dos Santos Rua do Poço do Rei - Proença-a-velha admitida  
97 REQUALIFICAÇÃO DO ESPAÇO URBANO Requalificar o espaço urbano na Rua da Misericórdia s/n, de modo a implementar um espaço verde para a população. Urbanismo, Reabilitação e Requalificação Urbana Micaela Narciso R. Pereira Folgado Rua da Misericórdia - Proença-a-Velha excluída alíneas g) e k) do n.º 2 do artigo 14.º
98 REQUALIFICAR CHAFARIZ SÃO SEBASTIÃO Requalificar o chafariz de São Sebastião e a sua envolvente. Espaço Público e Espaço Verde Maria da Purificação Castilho esteves Rua conde de Proença-a-Velha; Proença-a-Velha admitida  
98

Propostas apresentadas

53

Projetos

205

Participantes registados

145

Votos